Alunos trocam escola por pequenos negócios

Trezentos alunos que frequentavam a Escola Secundaria 4 de Outubro, na vila de Ressano Garcia>>

Trezentos alunos que frequentavam a Escola Secundaria 4 de Outubro, na vila de Ressano Garcia, distrito de moamba, província de Maputo, desistiram de estudar nos primeiros seis meses deste ano para se dedicarem a pequenos negócios, o que é considerado comum naquele ponto do pai devido á sua localização.

O facto tem acontecido, principalmente, nos primeiros dois trimestres do ano lectivo e, conforme testemunhámos no local, as desculpas para as desistências são variadas, com ênfase para a prática de comércio transfronteiriço que é a base de sustento para a maior parte da população daquela vila.

Esta situação tem influenciado negativamente no plano do governo local no que concerne á redução do analfabetismo e, para reverter a situação, as autoridades de educação a nível do distrito de Moamba, e até mesmo da província de Maputo, têm estado a sensibilizar os pais e encarregados de educação sobre a importância da Educação na vida dos filhos e educados.

Ainda neste quadro, o governo local decidiu construir novas escolas com centro de internatos e apetrechá-las com mobiliários e equipamentos diversos, ao longo das zonas fronteiriças, nomeadamente Namaacha,Goba e Ressano Garcia, que é para reduzir as longas distâncias que separam as comunidades dos estabelecimentos de ensino.

O actual desafio do governo é construir escolas ao longo da fronteira e apetrecha-las. Com este acto, espera-se que reduzam os casos de abandono escolar para abraçarem o comércioˮ; disse Lucas Fernando, representante do Governo da província de Maputo.

Conforme sublinhou, no momento, o Governo busca parceiros para a construção de escolas superiores porque, até ao momento, só existem duas escolas superiores na vilas-sede do distrito de moamba.

No quadro dos referidos investimentos, na semana passada foram inaugurados três laboratórios de química, física e biologia, instalados na Escola secundária 4 de Outubro de Ressano Garcia.

Trata-se de uma oferta da CTRG, em parceria com a Electricidade de Moçambique e sasol, que visa melhorar a qualidade de ensino e desenvolver as habilidades dos alunos por via da associação dos estudos teóricos com a prática.

Aquelas infra-estruturas estão apetrechadas com equipamentos de ponta, incluindo kits de reagentes, num investimento estimado em 10 milhões de meticais, que vai servir aos alunos daquela instituição de ensino e de outras escolas localizadas nas imediações.

Na ocasião, os alunos da Escola Secundária 4 de Outubro pediram às autoridades da central térmica de Ressano Garcia (CTRG), uma empresa vocacional á produção de energia eléctrica a partir do gás natural, para que lhes permitisse o acesso á internet e aos programas informáticos orientados para o ensino e aprendizagem.

Segundo Lucas Fernando, o empreendimento vai contribuir para uma formação mais completa dos alunos.‘‘ Com este laboratório os alunos que demonstrarem habilidades serão integrados nas empresas doadoras como forma de estimular o interesse pelos estudosˮ, disse.

Por sua vez, Francisco Canucanu, professor da disciplina de Física da 10.ᵃ, 11.ᵃ e 12.ᵃ Classe, afirmou que aqueles laboratórios faziam muita falta, porque a partir de agora ‘‘será fácil conciliar a teoria á praticar dando chances de alargar cada vez mais os seus conhecimentos. Os laboratórios vão beneficiar cerca de 1170 alunos que ainda frequenta a escolaˮ.

Fonte: Jornal domingo, 03 de Julho de 2016.pag.21