Educação aposta na expansão do pré-Escolar

Educação aposta na expansão do pré-Escolar
O sector da Educação esta a expandir o Ensino pré- Escolar e tem como meta integrar 84 mil. >>

O sector da Educação esta a expandir o Ensino pré- Escolar e tem como meta integrar 84 mil crianças ao nível nacional.
Esta declaração foi feita pelo Ministro da Educação e Desenvolvimento Humano, Jorge Ferrão, aquando da sua visita á sede da organização Save the children, no âmbito da celebração do Dia da criança Africana, comemorado quinta-feira ultima no Continente Africano.
Falando aos presentes naquele encontro, o ministro fez menção á pretensão do Governo de expandir a educação pré-escolar por todo o país, um projecto iniciado no ano passado, “Tete, Nampula, Cabo Delgado, Gaza e Maputo já possuem o Ensino pré-escolar e Foram abrangidas entre 12 e 15 mil crianças”. Adiante, salientou que esta expansão está a ser monitorada pelo sector da Educação para evitar que recursos sejam usados de forma dispendiosa e desnecessária.
Referindo-se a situação da educação associada á crise política-militar, Ferrão disse que “em 2014 tivemos cerca de um milhão e meninos que ingressaram na 1.ª classe. No entanto, quando se foi realizar os exames apenas estavam na escola 800 mil crianças, abandonaram as aulas.”
Para o ministro, este facto revela-se preocupante. Por esta razão, apelou às crianças presentes para que não abandonem a escola e que passem o recado aos outros menores no seio das suas comunidades.
Na ocasião, Rebeca, natural do distrito de Gondola, província de Gaza (Manica), e membro do clube das raparigas na sua escola, questionou sobre o que o seu clube poderia fazer para ajudar o Governo a restabelecer a paz. Respondendo á esta questão Jorge ferrão sublinhou que a maior ajuda que Rebeca e todas as crianças podem Oferecer é dedicando-se mais aos estudos, pois só assim poderão dar a sua contribuição para o país uma vez o conhecimento ser também o garante da paz. Marta Benvida, proveniente da província de Gaza, distrito de Manjacaze, questionou ao representante do Governo por que motivo não existe um clube de raparigas em todas as escolas do país. Em resposta a esta questão o representante do Governo reconheceu esta falta, contudo prometeu estudar formas de fazer com que todas as escolas possuam este clube.
Por seu turno, o representante da Save the Children, Peter Newsun, sublinhou que a sua organização estará sempre disponível para interagir com o Governo e continuar a trabalhar em parceria com vista a melhorar a situação da criança no país. No referido evento, afirmou que a Save the Childrem tem na missão de até 2030 lutar para que haja progresso significativo na vida das crianças. Assim sendo, a primeira está ligada á prevenção de mortalidade em crianças menores de cinco anos; a segunda, garantir que as crianças tenham acesso a uma educação de qualidades e a terceira, criar condições para que estas estejam protegidas contra todas as formas de abuso.
De acordo com Peter Newsun, esta organização investiu nos últimos cinco anos entre 20 e 25 milhões de dólares por ano e, momento está a operar em 120 países.