NAS ESCOLAS DE NAMPULA

O SECTOR de Educação e Desenvolvimento Humano acaba de lançar em todas as escolas do distrito de Nampula>>

Lançada campanha de protecção de albinos
O SECTOR de Educação e Desenvolvimento Humano acaba de lançar em todas as escolas do distrito de Nampula uma campanha de protecção de cidadãos albinos, que nos últimos tempos têm sido alvos de raptos e assassinatos, particularmente nesta região do país.
A campanha visa despertar os alunos e a sociedade em geral sobre a importância da prevenção e combate a este fenómeno.
Esta é a primeira iniciativa de género a nível das escolas de Nampula, desde que o fenómeno de raptos e assassinatos de pessoas com problemas de pigmentação da pele começou naquela província, onde ocorrem com frequência.
Muido Cesar, director da Educação e Desenvolvimento Humano na cidade de Nampula, enfatizou que a iniciativa do sector visa educar as comunidades em que os alunos estão inseridos, de que o albino é mercadoria para ser vendido.
Aliás, a campanha decorre sob o lema “O albino é meu amigo”.
“Os albinos têm os mesmo direitos que os outros (sem problemas de pigmentação na pele) que estudam nas nossas escolas. Esta campanha é para mostrar que não pode haver discriminação pelo facto das pessoas serem portadora do albinismo”, salientou Muido Cesar, falando aos alunos, pais e encarregados de educação na EPC de Mutomoti, palco do lançamento da campanha.
Por seu turno, Amade Frase, representante do Governo de distrito de Nampula, elogiou a iniciativa, considerando que esta poderá contribuir para a protecção deste grupo não só a nível desta região do país.
Acrescentou que o sucesso do que vier a ser feito no âmbito da campanha passa também pela vigilância contra tidas as tentativas de venda de seres humanos, particularmente os albinos.
Amade Frase afirmou que o Governo do distrito de Nampula tudo fará para proteger as pessoas albinas naquela região.
Dados da Procuradoria-Geral da Republica referem que de Janeiro a Setembro do presente ano, foram registados na província de Nampula, 27 processos relativos a casos de crimes cometidos contra albinos. Destes, cinco referem-se à violação de túmulos, um de tráfico (em julgamento), dois de homicídio qualificado e acusados e os restantes encontram-se na fase de instrução.
Fonte:Jornal Noticias, 26 de Novembro de 2015.Pág.5